Esportes

Postado em 06 de Fevereiro de 2020

Corra atrás dos seus objetivos: O primeiro passo? Acreditar que é capaz!

O que leva alguém a se apaixonar por um esporte? De onde vem a urgência que nos faz sentir que precisamos de mais? Ou que nós podemos mais? Muito já se descobriu sobre os benefícios que a prática de esportes traz para o corpo e para a mente, mas hoje eu quero falar um pouco sobre a minha experiência com o que veio antes. Antes da satisfação e bem-estar, do sentido de dever cumprido e da alegria de sentir orgulho de si mesma, a história era bem outra. Meu nome é Patricia Cifali, sou gestora do Village Praia do Rosa e agora eu vou compartilhar com vocês a história de como a corrida mudou a minha vida.

Bom, na verdade dizer que ela mudou minha vida não está totalmente certo, o fato é que a corrida continua mudando, pois uma das belezas do esporte é que ele nos estimula a estar em constante evolução. Nos sentir desafiados é de suma importância para manter nossa vida em equilíbrio, evitando que fiquemos estagnados. A minha realidade antes de descobrir a corrida envolvia a criação de dois filhos pequenos, e os inúmeros desafios da maternidade somados a uma jornada de trabalho exaustiva fizeram com que eu esquecesse que também era preciso cuidar de mim. A falta de zelo com o meu corpo também estava se refletindo em minha mente e foi extremamente difícil encontrar um ponto de partida para mudar essa situação.

Pode até parecer clichê nos tempos atuais, onde a consciência corporal e a busca por hábitos saudáveis estão em alta, mas o meu relato é totalmente genuíno e verdadeiro! Desde a adolescência eu sempre briguei muito com a balança, a necessidade de regular minha alimentação era constante e sempre que me descuidava um pouquinho, perdia o controle. Meus meninos, Augusto e Antônio nasceram com gestações muito próximas, e em meio às responsabilidades da gravidez, me vi desencorajada em reconquistar minha autoestima.

O marco que seria início da minha grande transformação aconteceu no ano de 2008 quando a Praia do Rosa foi escolhida para ser o cenário de uma das etapas do Mountain Do, evento esportivo de corrida de aventura. Na primeira edição da prova, aqui no canto Sul do Rosa, foi emocionante acompanhar da plateia centenas de atletas cruzando a linha de chegada depois de horas exaustivas de provas. E foi ali, como uma simples espectadora, que eu que resolvi analisar a maneira que estava vivendo, ou melhor, sobrevivendo. E assim tracei um novo desafio na minha vida: mudar a maneira que estava tratando meu corpo e minha mente. Como? Me preparando física e emocionalmente o bastante para poder competir na próxima edição do circuito no ano seguinte.

Com um prazo de 365 dias e quase 20 quilos acima do peso, a meta parecia um pouco distante da realidade dos fatos. Mas sair da zona de conforto não era apenas um desejo, era mais do que preciso. A rotina de treinos não parecia nada fácil! Acordar cedo para correr em exaustão enquanto todos dormem, trabalhar na madrugada para compensar algumas horas do dia na academia, sem mencionar as noites mal dormidas com a crianças, afinal, ser mãe é uma tarefa 24h. Mas desistir já não era uma opção, essa atitude tinha ficado no passado.

Os meses se passaram, as queixas e as dores no corpo também. E 1 ano depois, conforme prometido, lá estava eu no grid de largada em meio a mais de mil atletas. Naquele instante eu já me sentia a verdadeira campeã da prova e a largada nem havia iniciado. O fato era único e verdadeiro, eu havia conseguido: “alcancei meus objetivos e me sinto pronta!” Que sensação maravilhosa. Foram 5 km emocionantes de profunda alegria e emoção. Quando terminei o percurso inteiro, estacionei meus restos mortais na linha chegada e segui ali aplaudindo cada atleta que chegava completando 11km e 22km. E mais uma vez, algo dentro de mim floresceu, e naquele momento descobri que eu podia mais, eu também poderia ser uma maratonista de montanhas.

Agora, vamos com calma. Não se tratava mais de um hobby banal, de uma vontadezinha de correr, o cenário agora era totalmente diferente, as questões de peso e estética já não tinham qualquer relevância, afinal eu estava assumindo um compromisso muito maior comigo mesma. Ser uma maratonista envolve comprometimento diário, não só com o esporte, mas com o jeito que levamos nossa vida, nosso dia a dia, e isso sim, leva tempo para nos ajustarmos. Com o passar dos anos eu segui aperfeiçoando meus treinos, e aos poucos a corrida me ensinou que é a cabeça que manda, porque a perna só para quando a mente desiste. O tempo foi passando e novas provas vieram, e a cada nova etapa eu conquistava algo a mais, superava percursos maiores em menos tempo, e a evolução constante era só mais um motivo para continuar.

A corrida agregou em minha vida a resiliência e o equilíbrio entre o corpo e a mente. O sentimento de superação começou a nascer em outras esferas da minha vida pessoal e comecei a me dar conta que aquela garra e coragem me fortaleceram como mulher, mãe e também empresária. A corrida transformou o meu estilo de vida ao me fazer compreender que muito melhor do que estar saudável é se sentir saudável. A recompensa? Completar os 22.5km do Montain Do Praia do Rosa 2019 em 3 horas cravadas no cronômetro. Pensa na felicidade desta atleta amadora. A sensação de que tudo é possível e de que basta em primeiro lugar acreditar fez mais uma vez os meus olhos brilharem, e ali, jogada na grama ao lado da linha de chegada comecei a projetar meu novo objetivo: é isso, está na hora de correr uma maratona completa. Pensei alto comigo mesma: aos 42 anos estarei pronta para correr exatos 42 km, é mais do que perfeito e eu sei que sou capaz.

E realmente nada é por acaso, porque diz o ditado popular que a vida começa aos 40. E mais intensa do que qualquer etapa de corrida, é a maratona da vida. Apenas algumas semanas após a minha incrível superação na prova dos 22.5km, eu tive o maior dos desafios de toda minha trajetória: a difícil tarefa de lidar com um problema de saúde do meu querido pai, o qual sofrera um AVC gravíssimo. Toda nossa família foi impactada com esta notícia imprevisível, que atingiu em cheio todos a sua volta. E desde as primeiras 72 horas de alto risco eu coloquei em prática toda coragem e perseverança que o esporte me nutriu. Foi assim, com muita fé e força de vontade que eu consegui seguir em frente. E de alguma forma, eu podia sentir que os treinos e mais treinos foram de extrema importância para a superação do que a vida me exigia neste momento difícil.

O tempo passou, o primeiro mês de 2020 passou voando, mas o que importa é que eu vou correndo atrás! Há poucos meses da prova que mais uma vez será um marco na minha história eu me sinto desafiada e mesmo com a ansiedade tomando conta da rotina de treinos, eu sei que estou totalmente preparada. E se você também está pensando em se desafiar ou ao menos garantir um pouco de inspiração, a etapa do Mountain Do deste ano na Praia do Rosa já tem data marcada: dia 17 de maio!

 

Ficou curioso para saber mais sobre o Mountain Do Praia do Rosa? Então acesse a página oficial do evento clicando aqui. No Village, o evento já é tradição e recebemos todos os anos dezenas de participantes. Na edição de 2018 tivemos o privilégio de hospedar o Gustavo do programa “Fôlego” que fez uma cobertura incrível do circuito naquele ano e você pode conferir clicando aqui. Mas se a sua participação ainda não será em 2020 te indico seguir o casal Joana e Marcos do @pitacosdocasal que estarão pela primeira vez nesta super aventura e mostrarão todos os bastidores desta mega estrutura esportiva.

Desejo a vocês muita coragem para enfrentar seus desafios em 2020, mas acima de tudo, que neste ano seja possível acreditar mais em si mesmo.