Wellness

Postado em 14 de Agosto de 2019

O silêncio também fala: Um convite a meditação.

Quem ao tentar meditar pela primeira vez se questionou se era mesmo uma coisa pra você? Pois é, praticamente todos os iniciantes da prática de meditação já passaram por isso. Existem diversas formas de meditar, e descobrir qual a que mais combina com você pode garantir o sucesso das suas práticas, principalmente no início da jornada. Mas você sabe qual o verdadeiro objetivo da meditação? Ainda tem muitas dúvidas sobre como começar? Então continue lendo que eu vou tentar ajudar. Clicando aqui você também pode assistir a um vídeo rápido sobre o que é meditar.

O que é meditação?

Ser observador de si mesmo: essa é a ideia central da meditação. Mais do que concentrar-se em algo, a meditação é uma ferramenta de autoconhecimento e de presença, podendo ser praticada por qualquer pessoa e em qualquer idade, independente da religião. É verdade que as pessoas têm motivos diferentes para querer meditar: silenciar uma mente inquieta, conhecer-se melhor, encontrar tranquilidade e paz, buscar a verdade sobre si mesmo, ou conectar-se com algo “supremo”. Mas qualquer que seja a sua razão, não saber por onde começar e como permanecer motivado pode ser desmotivador. Sendo assim, que tal fazermos isso juntos?

Usando roupas confortáveis, em um ambiente tranquilo e silencioso, sente-se de forma imóvel com a coluna reta, pense no objetivo que deseja alcançar por meio da meditação, sem dar foco às influências do mundo ao seu redor. Concentre-se no momento presente. Você poderá iniciar o processo de perceber pensamentos e imagens mentais. Sem apego ou julgamento você passa a observar essas sensações e pensamentos e permite que eles sigam…

Mindfulness – Atenção Plena

Esses passos simples que acabei de descrever fazem parte de uma prática que consiste em ter total atenção ao que você está fazendo, com aceitação e sem julgamentos. Prestando sempre atenção nas sensações, nos pensamentos e nas emoções que surgem. Popularmente conhecida como Mindfulness, a técnica da Atenção Plena nos ensina a perceber nossas ações e reações no momento que acontecem sem reagir de maneira automática ou habitual. Assim, aprendemos a fazer escolhas mais conscientes e funcionais, influenciando positivamente em como lidamos com os desafios do dia a dia.

Quando paramos de criar uma narrativa, uma “estorinha” pessoal para as percepções que temos, vamos permitimos que um estado de esvaziamento aconteça, como um pequeno espaço “livre” entre um pensamento e outro. Esse espaço pode ser descrito como a cessação das ondulações mentais. A mente está menos agitada e o meditador pode se conectar a estados ainda não acessados de consciência.

Alguns mestres de práticas meditativas afirmam que a mente humana não está apta a ficar longos períodos “em branco” e que esse pode ser um mito ligado à meditação. Mas baseados nos estudos contemporâneos sobre a prática meditativa a mais despretensiosa afirmação que podemos fazer é que a meditação é um caminho prático e eficaz na busca do autoconhecimento. Meditar é praticar a auto-observação, olhar para dentro de si e compreender-se. A descoberta de que você é responsável por tudo aquilo que pensa pode ser transformadora, afinal, se você se aceita e e se entende como responsável, significa que você pode reconhecer e mudar os seus pensamentos e também a frequência deles.

Todos os seres humanos têm o potencial de permanecer com corpo imóvel e a acessar o treino para a escuta da própria mente. Só requer um pouco de vontade e uma boa disciplina. Com a prática, tenho certeza, você mesmo poderá relatar o que a meditação foi capaz de te mostrar.